"Porque dEle e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Ele eternamente. Amém." (Romanos 11:36)

Que Paulo é meu grande ícone ninguém duvida…

E hoje li mais uma vez suas graciosas palavras como se fossem a primeira vez. Impressiono-me em como um homem prisioneiro, que passava por misérias e torturas, conseguia ter tanta graça e força de espírito para ainda aconselhar e esperançar outras pessoas. E ele era preciso nisto!

Ele manda cartinhas para seu pupilo Timóteo, com todo carinho para impulsioná-lo, dando conselho até sobre suas dores de estômago (I Tm 5:23)… Um líder preocupado e presente, ainda que virtualmente.

Fato é que Timóteo, ao qual se estimava ter 19 anos nesta ocasião, deveria ser um obreiro inseguro, necessitado de orientação e confirmação de propósitos. Talvez  não quisesse desmoralizar o próprio legado do seu mestre Paulo, além do nome de Deus. Talvez buscasse apenas credibilidade, pois no meio de tantas tradições, muitos poderiam resistir a serem ensinados e discipulados por um “garoto”…

Fato é que Paulo – 2 TM 1:6-7 – mais uma vez desperta Timóteo do ostracismo e da insegurança, invocando as antigas promessas do Senhor sobre a vida do então rapaz: “Por este motivo, te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos. Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza e de amor e de moderação”.

Daí percebemos que:

  1. Timóteo tinha uma palavra profética sobre seu ministério mas ainda parecia não ter se empoderado disto. O próprio Paulo já o tinha abençoado e enviado;
  2. Timóteo era inseguro já que Paulo invoca o espírito de fortaleza e não de temor;
  3. Timóteo poderia não lidar bem com a repercussão de sua insegurança/idade, já que Paulo também atribui o espírito de amor e moderação, ou seja, talvez ele tivesse reações condizentes com sua juventude, simplesmente;

Paulo sacode Timóteo porque na primeira carta (1Tm 4:12-16) já tinha dado o mesmo recado e o “menino” ainda parecia atônito e paralizado na sua fé:

“Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.
Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá.
Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério.
Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos.
Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”.

UM-GATO-NO-ESPELHO

Portanto, assim como Timóteo, se temos uma palavra profética sobre nosso ministério, temos que DESPERTAR o dom de Deus e não DESPREZAR este dom!

Temos que abrir mão das nossas inseguranças e nos lançar autorizados pela palavra profética de Deus sobre nós! Nos vestir de fortaleza, de amor, de fé. Talvez não sejamos meninos na idade, mas meninos na caminhada ministerial e na fé: isto não no impede de viver a plenitude do Senhor para nossas vidas!

De qualquer modo, os verbos chaves ficam para todos nós:

Persiste em ler, exortar e ensinar. A revelação pela palavra é inquestionável.
Não desprezes o dom que há em ti. Se Deus nos entregou: façamos com amor.
Medita estas coisas; ocupa-te nelas. Ruminar os ensinamentos dos mestres trazem crescimento espiritual e consolidação de princípios.
Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas. Salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem. Palavras convencem, mas testemunho arrasta!

Vamos persistir! Deus é nossa fortaleza!

Maranata!

 

Já acordo me levando essa pelos dentes!!! “Regozijai-vos no Senhor, justos, pois aos RETOS fica bem o louvor” Salmos 33:1.

Sempre li esse Salmo e achei esse RETOS aí meio sem noção… Uma falha de tradução, talvez?!?

Mas meditando sobre os princípios de Deus, é muito claro que Deus não aceita qualquer coisa. Deus não aceita uma oferta sem alegria, Deus não aceita oferta – enquanto ato de louvor – de alguém que está brigado com seu irmão. De não aceita louvor de ninguém TORTO, que não seja reto e justo.

Muitas vezes nos esforçamos tanto para mergulhar no fluir de Deus e não vemos nada, não sentimos nada. Ficamos procurando dentro de nós – com uma ajudinha do inimigo – uma razão para que Deus venha nos desvalorizar, para que não mereçamos a graça e amor de Deus quando o assunto NADA tem a ver com Deus e sim conosco!

Nós é que precisamos de reflexão, de aparar arestas, aplainar os montes e vales e preparar o caminho de adoração do Senhor.

Já diziam os profetas antigos, Isaías, corroborado por João: preparem o caminho do Senhor. E não só um caminho de volta de Cristo, algo macro. É algo micro: um caminho de acesso ao nosso Espírito e Alma: preparamos de um caminho RETO para nosso Deus passar, para que nosso louvor chegue a Ele.

Portanto, enquanto não estivermos retos em nossa vida, nossa atitude, nosso pensar, falar e agir, nem fica bem louvar… Pra Deus fica piegas, falso e artificial, uma cena de teatro, dramático, eloquente, até bonito, mas FALSO.

Cuidemos, amados, para que nosso louvor fique bem na foto, agrade a Deus e seja um rolo compressor, aprumando cada vez mais nosso caráter.

Shalom!

DOIS INIMIGOS

Já houveram dias em que tudo era culpa do diabo. Toda má influência, todo pecado, toda queda era obra do diabo.

Já virou até anedota que o diabo estava na sarjeta chorando porque “tudo era culpa dele e ele sabia o que tinha feito”…

Graça, acho pouca. Principalmente considerando que se excluirmos o diabo de tudo de ruim que acontece, fatalmente só sobrará o próprio “eu” como culpado.

Mas, o ladrão não vem senão a matar, roubar e destruir, está escrito – já fiz um post sobre isso – mas ele tem um propósito: te afastar de Deus, te rebelar contra Deus e te fazer pecar, forma mais eficiente de cindir teu relacionamento com Deus.

Vejamos duas passagens emblemáticas do começo do relacionamento Deus-homem:

Gênesis 3

1 Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim?

2 E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos,

3 Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais.

4 Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis.

5 Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal.

  

Gênesis 4

1 ¶ E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem.

2 E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.

3 ¶ E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor.

4 E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta.

5 Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante.

6 ¶ E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?

7 Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar.

8 ¶ E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou.

 

No primeiro momento o diabo fez questão de se meter no meio do relacionamento, fazendo o homem duvidar da ordenança de Deus e se insurgir contra ela. Pra quê? Pra fazer o homem desobedecer e pecar, lógico. Cisão no relacionamento com Deus é sempre o objetivo principal.

O diabo teve participação direta no convencimento para o pecado.

No segundo caso, nada de diabo. A própria vontade da alma é o grande inimigo – não menos eficiente que o diabo – para fazer Caim desobedecer à ordem DIRETA de Deus de resistir.

Sim, Deus expulsou Adão do Éden, mas perceba que ele falou diretamente com Caim, ainda manteve seu relacionamento com ele, talvez por inda não ter um pecado destruidor do relacionamento até então.

Mas Deus diz a frase-chave: “o pecado jaz à porta, sobre ti será o SEU desejo, mas sobre ele deves dominar”. Deus usa “seu” e não “teu”, portanto, terceira pessoa, referindo-se ao pecado. Desta forma, o desejo de pecar será sobre Caim, mas ele deveria resistir. Uma luta interna, nada relacionada com diabo.

Portanto, diabruras à parte, tenhamos cuidado de guardar nossa alma e espírito para Deus, considerando que o mal pode – sim – começar em nós mesmos.

Busquemos as coisas do alto, de Espírito Santo, para resistir ao inimigo, e resistir – principalmente – a nós mesmos.

 

Ando pensando muito sobre chamados. Pergunto a Deus por que não consigo evangelizar? Por que não consigo catar ninguém na rua e cuidar? Simplesmente não consigo. Pronto! Mas meu chamado não é evangelístico, não é pastoral. Creio que meu chamado é aquele onde ninguém precisa de dizer o que fazer, simplesmente o sei de coração e espírito. 
Esta semana o pastor Gilson Gregorio brincou comigo dizendo ‘Jesus está confuso, você dança, você canta ou você toca?’ Rimos disso, de eu jogar nas “11”! Depois fiquei seriamente pensando, será que estou atirando mesmo pra todo lado? 
Mas encontrei paz ao pensar no meu chamado que chamo gentilmente de “profeta com tendência a mestre” rsrrsrs. Movo no profético em todas as áreas da arte, posso dominá-las todas pra quem sabe um dia, passá-las para outros pelo dom de mestre. Simplesmente só sei adorar com todas as minhas expressões. E cada gesto tem fundamento e uma oração espiritual que ninguém sabe: só Deus! E de lá intercedo por todos os outros ministérios da minha casa. 
E você: já encontrou o seu ministério? Pode escolher, ou Jesus escolhe pra você – APÓSTOLOS, PROFETAS, MESTRES, PASTORES, EVANGELISTAS!

Tem muita coisa na nossa vida parece maldição mas é benção.
Tem muita coisa que não entendemos mas é propósito.
O fato de Sara ser estéril na verdade foi um livramento e resguardo para as promessas de Deus. Quando Abraão – com sua ideia de gerico – resolveu não dizer ser casado com Sara, o faraó a tomou como mulher no Egito.
Agora eu te pergunto: e se Sara não fosse estéril? E se faraó engravidasse Sara? Pra onde iriam as promessas de Deus? (se era esposa estava sujeita a isso, né, minha gente?)
De fato, ela ser estéril foi um cuidado de Deus para que seu ventre só gerasse a semente escolhida no momento certo… Sara teve ideia de gerico de arrumar Agar, mas isso é papo para outra conversa…
Não questione o que você não entende! Apenas louve! Se está estranho, dolorido, pesado, só entregue ao Senhor!
O seu problema pode só parecer problema, pode ser só uma fase do processo de Deus!

Depois caminhou Abrão dali, seguindo ainda para o lado do sul.
E havia fome naquela terra; e desceu Abrão ao Egito, para peregrinar ali, porquanto a fome era grande na terra.
E aconteceu que, chegando ele para entrar no Egito, disse a Sarai, sua mulher: Ora, bem sei que és mulher formosa à vista;
E será que, quando os egípcios te virem, dirão: Esta é sua mulher. E matar-me-ão a mim, e a ti te guardarão em vida.
Dize, peço-te, que és minha irmã, para que me vá bem por tua causa, e que viva a minha alma por amor de ti.
E aconteceu que, entrando Abrão no Egito, viram os egípcios a mulher, que era mui formosa.
E viram-na os príncipes de Faraó, e gabaram-na diante de Faraó; e foi a mulher tomada para a casa de Faraó.
E fez bem a Abrão por amor dela; e ele teve ovelhas, vacas, jumentos, servos e servas, jumentas e camelos.
Feriu, porém, o Senhor a Faraó e a sua casa, com grandes pragas, por causa de Sarai, mulher de Abrão.
Então chamou Faraó a Abrão, e disse: Que é isto que me fizeste? Por que não me disseste que ela era tua mulher?
Por que disseste: É minha irmã? Por isso a tomei por minha mulher; agora, pois, eis aqui tua mulher; toma-a e vai-te.
E Faraó deu ordens aos seus homens a respeito dele; e acompanharam-no, a ele, e a sua mulher, e a tudo o que tinha.

Gênesis 12:9-20

Li há poucos dias a história de Agar. 

 

E já ouvi mais duas pregações sobre Agar nos últimos dias. Mais que depressa perguntei a Deus: o que o Senhor quer comigo e com Agar? Gênesis 16 em diante. 

 

Sempre vemos Agar como uma bruxa, que veio para estragar a linda história de amor de Abrão e Sarai. Num gesto de falta de fé e precipitação, Sarai resolve fazer sua serva Agar – que deveria ser bonita, de confiança, amiga de Sarai – de barriga de aluguel para pseudo-gerar a promessa de Deus. 

 

Este não é o foco. Quando se percebe grávida, o orgulho toma conta de Agar, que fica se “achando”. Sarai, revoltada com o tiro saído pela culatra, espanca sua serva, que foge grávida para o deserto. Aí chega ao ponto encantador desta história. 

 

Agar estava sozinha, como muitos de nós. Seu sonho de ter família, que havia ficado para traz, renasce e logo morre na ponta da chibata de sua senhora. Qualquer coisa era melhor que aquilo: até o árido e escaldante deserto. Morte certa. Ou seja, para Agar era melhor morrer. Agar era estrangeira, criada em outra cultura, com diversos deuses, mas uma coisa surpreendente acontece: o anjo de Deus a acha junto a uma fonte no meio do deserto. Se acha, é porque estava procurando. Deus a manda voltar e se humilhar. Assim multiplicaria sua descendência através de Ismael – ainda fez ultrasson nela! rsrsrsrs 

 

Agar não pertencia ao povo escolhido de Deus. como eu e você, mas Deus cuidava dela. João 1:12. Ela reconheceu o anjo, sinal que já servia ao Deus de Abrão. E Ele cuidou de Agar. Depois, mais uma vez, Agar é – desta vez – lançada no deserto e Deus mais uma vez cuida dela e de seu filho. 

 

Mais uma vez sozinha e temendo a morte, Deus abre seus olhos e ela vê uma fonte ao seu lado. Deus não abriu uma fonte: abriu seus olhos. Antes, ela foi para junto de uma fonte. Desta vez, de tanto desespero e dor, nem a fonte ela viu. 

 

Fato é que Agar criou seu filho no deserto. Aquele ambiente hostil e de dor, foi transformado por Deus em fonte de vida e multiplicação. 

 

Somos também estrangeiros, muitas vezes feridos, abandonados por aqueles que amamos, vendo nossos projetos darem errado… 

Mas Deus tem solução nos desertos. Muitas vezes depende de nós, voltarmos e nos humilharmos, ou seja, mudarmos a nossa atitude diante da vida. Por outras vezes, depende é de Deus mesmo. Fazer o milagre e tornar morte em vida. 

 

Hoje, eu sou Agar. E Deus é meu manancial no deserto. 

 

Maranatha! 

É muito triste/esquisito como muita gente vive sua vida ignorando Deus… 
Ou eu que entendo errado, e essas pessoas têm seus deuses: a si mesmos, sua casa, seu carro, suas convicções. 

Sou muito respeitadora das crenças e das religiões, não imponho a minha e nem desabono ninguém por seguir algo diverso de mim, mas não suporto quem vai à igreja pra ver quem tava de olho aberto, quem chorou, quem ri lá mas é antipático fora, quem é fingido, se o discurso do pastor tava bom ou não! 

A Bíblia – um livro que se usa bastante na igreja, embora muita gente não creia – diz que:

1) cada um dará conta de si mesmo a Deus 

2) Quem convence o homem do pecado, justiça e do juízo é o Espírito Santo (não o discurso porreta do pastor)

3) Deus procura adoradores (não sinceros, que cantam bem, sorridentes, perfeitos e por aí afora…)

4) A fé vem pelo ouvir, e ‘O’ ouvir pela palavra de Deus (“O!” aí, é Deus tá?). Ouvimos Deus através da palavra. Isso explica tanta gente doente na igreja, até pq Jesus veio pros doentes pq os sãos nem lembram que Ele existe

5) A Bíblia enumera 5 chamados específicos, entre eles o dom de mestre. se é um dom, nem todos têm a capacidade sozinhos de interpretar as escrituras, precisando de um ensinador, como uma criança alfabetizando que um dia lerá e interpretará sozinha, mas tem q partir de um BE-A-BÁ! (os chamados: pastores, evangelistas, mestres, profetas e apóstolos). Não é manipular, fique claro! 

Já cansei de escrever. Melhor esperar Jesus voltar e ver quem tava certo: quem tava chorando seus erros ou quem tava espiando…